Preservação Ambiental e Sustentabilidade

O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (CREA-PR) preocupa-se com a regulamentação e fiscalização das atividades inerentes às engenharias. A preservação ambiental e a sustentabilidade de qualquer projeto de Engenharia Agronômica, Civil, Mecânica, entre outras, é uma preocupação do CREA-PR, no sentido de valorizar cada vez mais o profissional. Segundo o Profº Dr. Engenheiro Agrônomo Adriel Ferreira da Fonseca, “o CREA-PR tem lançado editais visando a qualificação profissional, tornando-o mais atualizado, competitivo e interessado no sentido de elaborar/executar projetos mais sustentáveis e inovadores”.

Importância dos Engenheiros e Agrônomos para a preservação ambiental e sustentabilidade

Uma série de ações de apoio às associações de classe é realizada, no sentido de mostrar a importância do Engenheiro para a Sociedade com a geração de riqueza, bem estar, segurança alimentar, desenvolvimento sustentável. Nesse contexto, Fonseca comenta sobre o papel do Engenheiro Agrônomo para proporcionar o Desenvolvimento Sustentável das Atividades Agrícolas: “Nossa formação e a grande maioria dos cursos de atualização visam preparar e proporcionar condições para o desenvolvimento sustentável da agricultura, visando produzir alimentos de alta qualidade e em quantidade suficiente para atender a crescente demanda pela população”. Ainda é papel do Engenheiro Agrônomo a produção sustentável de fibras, madeira e energia, tudo pensando no mais sustentável possível. Um exemplo claro é a produção de cana-de-açúcar para a produção de Etanol. Se a cana é produzida de forma tecnificada e moderna, a produção é de um dos combustíveis mais ecológicos. Esse é um exemplo claro de produção sustentável de bioenergia e biocombustível, que gera emprego, renda, riqueza no campo e muitos empregos na cidade, além de melhoria da qualidade do ar para os cidadãos.
Contemplado com o prêmio ‘Fundação Bunge Juventude’ em 2004, na área ‘Ciências Biológicas, Ecológicas e da Saúde – Desenvolvimento Sustentável’ através de seu trabalho de Tese de Doutorado, Fonseca afirma que somente conseguiremos praticar este conceito quando levarmos em consideração alguns conceitos de extrema importância:

a) Pesquisa, Inovação e Desenvolvimento (P, I & D) com investimentos assegurados para longo prazo. “Necessitamos de um Plano Diretor Nacional de P, I & D focado no Desenvolvimento Sustentável de País”, afirma.

b) Pessoas devidamente educadas, de modo a preocupar-se não apenas com o seu conforto e necessidades imediatas, mas focadas no desenvolvimento sem comprometer as futuras gerações. Para Fonseca, “isso se aplica à otimização de uso dos recursos naturais, reciclagem adequadas de todos resíduos, consumo sustentável e adequado planejamento de suas ações e impactos”.

c) Políticas Públicas que incentivam o desenvolvimento sustentável e o consumo sustentável. “Consumimos mais do que necessitamos. Muitas das vezes não otimizamos os recursos naturais disponíveis, comprometendo seriamente as futuras gerações”, afirma Fonseca. Desenvolvimento sustentável é uma questão de planejamento urbano e rural sustentáveis, e nesse quesito nosso país deixa muito a desejar.

Engenharia e sustentabilidade

Para Fonseca, a conscientização das pessoas vai muito além, já que de nada adianta termos a tecnologia se não tivermos educação e política para utilização e viabilização de opções alternativas mais sustentáveis. “A engenharia tem condições de contribuir no sentido de oferecer tecnologias mais sustentáveis para atendimento à nossa demanda por habitação, vestuário, alimentação, utilização de recursos naturais, fibras e energia. Porém tudo acontece como uma rede”.

As entidades de classe possuem um papel fundamental também na conscientização relacionada à sustentabilidade e preservação ambiental. A Associação dos Engenheiros Agrônomos dos Campos Gerais (AEACG) busca a valorização do profissional Engenheiro Agrônomo e defende sua importância junto à sociedade. Fonseca destaca as ações da AEACG, com apoio do CREA-PR e de empresas público e privadas atuantes no Setor Agrícola: “Realização de cursos, minicursos, seminários, palestras, eventos. Todas essas ações objetivam qualificação e atualização profissional”. Ele ainda destaca o ‘I Simpósio sobre Segurança Alimentar: O papel do Engenheiro Agrônomo’. O evento visa qualificação dos Engenheiros Agrônomos e mostra a sua importância na produção de alimentos de alta qualidade e em quantidade suficiente para atendimento da demanda atual e futura, buscando o bem estar da população, otimização de uso dos recursos naturais e sustentabilidade técnica, econômica e ambiental da atividade agrícola. “A AEACG não apenas oferece essas alternativas aos profissionais sócios, mas aos não sócios e a qualquer cidadão que tem interesse no referido tema”, ressalta Fonseca. Para maiores informações basta acessar o link http://evento.aeacg.org.br/.

Para Fonseca, é impossível praticar o Desenvolvimento Agrícola Sustentável sem ocorrer:

• Conservação do solo e da água;
• Uso de insumos agrícolas modernos, que ocasionam ganhos de rendimento com o mínimo impacto ambiental;
• Otimização de uso dos fatores de produção – terra, trabalho e capital;
• Maximização de uso dos recursos naturais;
• Valorização dos profissionais envolvidos no setor agrícola: técnicos, produtores rurais e todos os colaboradores envolvidos na cadeia produtiva;
• Políticas de incentivo à realização de práticas sustentáveis;
• Educação de qualidade e incentivo à ciência, tecnologia & desenvolvimento agrícola sustentável;
• Fiscalização e rastreabilidade da produção agrícola: deve punir quem produz errado e valorizar quem produz certo.
“Eu gostaria de mostrar a importância do trabalho da ‘Food and Agricutural Organization of the United Nations’ que, aqui no Brasil, desenvolve projetos que relacionam produção de alimentos, proteção ambiental e sustentabilidade da produção agrícola”, destaca Fonseca. Confiram através do link http://www.fao.org/brasil/programas-e-projetos/en/.

Adriel Ferreira da Fonseca
CREA/PR 47.842-D